24.1.09

A menina X foi ao cinema e chorou como uma catarata. Com ranho e tudo, como comprova o senhor X, que foi obrigado a emprestar-lhe, de urgência, o seu lenço de monograma, bordado por mim.
Há filmes que são construídos para podermos dar aso a uma espécie de catarse colectiva. Emocionam, com uma receita muito simples e infalível. Uma história de amor, que se vai desenvolvendo num contexto histórico dramático, de preferência distanciado e com solução aparente, que é para o mal-estar, apesar de tudo, não ser demasiado. Depois, num crescendo, lá vamos — primeiro uma lágrima, mais duas, três…
Bem escondemos o rosto com a ponta dos cabelos, enterramo-nos na cadeira, fingimos tossicar, pensamos em coisas divertidas, mas a nossa imaginação, para contrariar, insiste em dar-nos o pior de nós e não há nada a fazer… Eis que o fim do filme se aproxima, sem tréguas, e as luzes se acendem na sala, abruptamente, mesmo antes de passar a ficha técnica… E somos apanhados com os olhos vermelhos e um maço de lenços de papel, no "coiso" das pipocas!

1 comentário:

e foram felizes para sempre??? disse...

benditas pipocas!